Alergia ao nicotinato, efeitos colaterais e uso em gestantes

 

O nicotinato é um princípio ativo bem difundido no mercado, porém, existem mitos e também muitas verdades a respeito das reações adversas. Ele é um componente forte, notável pela vermelhidão que causa. 

O consumidor final, que deita em uma maca de 1 a 2 vezes por semana e recebe uma massagem com um creme contendo nicotinato, não deverá apresentar efeitos colaterais indesejados. Diferente de uma massoterapeuta, que pode ficar com as mãos expostas ao produto durante um dia inteiro, por vários dias consecutivos.

 

Para facilitar, vamos às perguntas mais frequentes:

  

O nicotinato faz mal à saúde?

Não faz mal à saúde desde que utilizado com moderação e segurança. Para as profissionais da área, é indicado o uso de luvas descartáveis em todos os procedimentos, não é diferente com o nicotinato. O uso consciente, utilizando luvas, evita a exposição excessiva e as reações adversas. Também é indicado o uso de máscaras cirúrgicas, para que não haja inalação do produto.

  

Quais as reações adversas ou efeitos colaterais e quanto tempo dura?

As reações adversas mais comuns são bolhas vermelhas com uma sensação de queimadura. Ao apresentar este quadro, o produto deve ter seu uso suspenso imediatamente. O tempo que demora para tudo isso sarar é o tempo natural de cicatrização, que varia de pessoa para pessoa. Se uma reação adversa foi constatada e o uso não foi suspenso, as reações aumentam e ficam cada dia mais difíceis de tratar. Leia logo mais sobre o uso consciente.

  

Produto com nicotinato de metila manipulado é seguro?

Para um cosmético com nicotinato ser aprovado pela Anvisa e disponibilizado ao mercado, além dos testes normais de produto dos próprios fabricantes, ainda requer um teste de estabilidade do produto, de no mínimo 3 meses e na sequencia uma é obrigatório apresentação do laudo de teste de irritabilidade dérmica feito em laboratórios especializados. Tudo isso promove uma segurança maior de uso.

O cosmético manipulado, apesar de passar por testes de qualidade da própria farmácia, não tem por obrigação todos esses passos, ficando mais suscetível a ocorrer reações indesejadas na pele dos clientes. Não é recomendado.

  

O nicotinato de metila foi proibido pela Anvisa?

Este ativo nunca foi proibido, apenas foi melhor regulamentado pelo Parecer Técnico de 25 de agosto de 2005. Confira nesse link como foi regulamentado.

  

É seguro para uso em gestantes ou em período de amamentação?

Não existe nenhuma contraindicação formal. Porém, da mesma fora não existe nenhum teste que comprove a sua segurança para uso durante a gestação. Diante disso, fica totalmente contraindicado o uso de produtos com nicotinato em qualquer fase, seja em gestantes ou já em período de amamentação.

  

Pode usar quando está menstruada? 

Pode ser utilizado, novamente enfatizando, com consciência. Por seu efeito extremamente vasodilatador, pode ocorrer aumento no fluxo e, dependendo da sensibilidade de cada mulher, pode inclusive ocorrer uma queda de pressão. Use com consciência e faça testes com suas clientes antes de utilizar de forma indiscriminada.

 

Uma pessoa que nunca teve alergia ao nicotinato, pode passar a apresentar?

Sim. Uma pessoa que usa produtos com nicotinato regularmente e nunca apresentou nenhuma reação anteriormente, pode passar a apresentar alergia de um momento para o outro. Mas isso não acontece somente com este princípio ativo, e sim, em relação à exposição a qualquer substância, seja alimentar, cosmética, farmacêutica.

  

Como usar de forma consciente e evitar reações adversas? 

Algumas dicas podem ajudar:

1 – Não utilizar produtos com nicotinato e fontes de calor ao mesmo tempo;

2 – Não utilizar sem luvas e máscaras descartáveis;

3 – Sempre fazer o teste de sensibilidade: Aplicar uma quantidade pequena no antebraço do cliente (no caso de profissionais que nunca utilizaram, fazer o mesmo procedimento) e aguardar 24 horas para verificar a formação de qualquer reação adversa. Produtos de confiança apresentam essa indicação em seu rótulo;

4 – Certificar-se que o produto é registrado na Anvisa;

5 – Verificar se o produto é dermatologicamente testado, muitas vezes não está indicado no rótulo;

6 – NÃO USE produtos com nicotinato que tenham na composição: óleo mineral ou parafina, essências, parabenos ou algum corante (CI).